You are visiting a website that is not intended for your region

The page or information you have requested is intended for an audience outside the United States. By continuing to browse you confirm that you are a non-US resident requesting access to this page or information.

Switch to the US site

Select Your Country or Region
Enviar
ARDS tree lung image

Reconhecimento e otimização do tratamento da síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA)

A SDRA é uma síndrome que parece ser pouco reconhecida, subtratada e associada a uma alta taxa de mortalidade. A SDRA é progressiva, com uma janela de tratamento precoce que pode ser explorada.[1]

O desafio

O tratamento de pacientes com SDRA é complicado e associado a hospitalizações prolongadas, além de consumir recursos significativos de saúde.[2]  A SDRA parece ser subtratada em termos de uso de abordagens recomendadas para ventilação mecânica e de algumas medidas adjuvantes. Esses achados indicam o potencial de melhoria no gerenciamento de pacientes com SDRA. [1]

Sinais e sintomas clínicos da SDRA

A SDRA continua pouco reconhecida, com apenas 60,2% dos pacientes sendo diagnosticados pelos médicos.[1]

Clinical sign ref. [3]; Severe ref. [4]

SDRA: O desafio clínico

Saiba mais sobre o desafio de reconhecer e tratar a
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA).

Download the ARDS brochure

As recomendações atuais

American Thoracic Society /European Society of Intensive Care Medicine / Society of Critical Care Medicine
Diretriz de Prática Clínica:
Ventilação Mecânica em Pacientes Adultos com Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo [5],[6]
Tratamento
Recomendações
Recomendações

Ventilação Mecânica com LTV (Volume corrente baixo) e Pressões Inspiratórias

Recomenda-se que pacientes adultos com SDRA recebam ventilação mecânica com volumes correntes limitados a 4-8 ml/kg PCP e
pressões de platô inspiratório <30 cm H2O

Forte recomendação com confiança moderada em
estimativas de efeito

Posição em Prona

Recomenda-se que pacientes adultos com SDRA grave permaneçam na posição prona por mais de 12 horas por dia

Recomendação forte com confiança moderada-alta em estimativas de efeito

Ventilação Oscilatória de Alta Frequência (VAFO)

Recomenda-se que a VAFO não seja usada rotineiramente em pacientes com SDRA moderada ou grave

Recomendação forte com confiança moderada-alta em estimativas de efeito

PEEP Alta vs PEEP Baixa (pressão expiratória final positiva)

Sugere-se que pacientes adultos com SDRA moderada ou grave recebam altos níveis de PEEP em vez de baixos

Recomendação condicional com confiança moderada em estimativas de efeito

Manobras de Recrutamento (MRs)

Sugere-se que pacientes adultos com SDRA recebam MRs

Recomendação condicional com confiança moderada em estimativas de efeito

Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO)

São necessárias evidências adicionais para fazer uma recomendação definitiva a favor ou contra a ECMO em pacientes com SDRA grave

Recomenda-se pesquisa contínua para medir os resultados clínicos de pacientes SDRA grave recebendo ECMO

Download the ARDS Treatment Guide

A importância de saber o status do volume

Diariamente, na UTI, os médicos precisam enfrentar este dilema terapêutico para o paciente com falência circulatória e deficiência pulmonar: devo optar pela administração de fluidos?

Em caso de SDRA grave associado ao choque, sugere-se considerar o uso de dispositivos de monitoramento avançado em uma fase anterior para auxiliar na definição de uma abordagem terapêutica lógica.

 

Ref. [7]

O Objetivo da Ventilação

"O objetivo da ventilação mecânica em pacientes com SDRA é manter
a troca de gases e evitar complicações, como
a lesão pulmonar induzida pelo ventilador (LPIV), pneumonia associada ao ventilador (PAV) ou disfunção
diafragmática induzida pela ventilação (DDIV)"[5]

consulte as referências [5], [8], [9]

Advanced hemodynamic Monitoring

Faça o diagnóstico de edema pulmonar à beira do leito

A SDRA é caracterizada por edema pulmonar, o acúmulo de fluido no interstício pulmonar e/ou nos alvéolos. Isso leva a uma troca de gás prejudicada e pode até mesmo causar insuficiência pulmonar. A quantidade de edema pulmonar pode ser facilmente quantificada à beira do leito com a medição do índice de água extravascular pulmonar (ELWI). A próxima pergunta importante é: Qual é o motivo do edema pulmonar? O índice de permeabilidade vascular pulmonar (IPVP) permite o diagnóstico diferencial. Em edema pulmonar cardiogênico procura-se um balanço hídrico negativo, enquanto nos casos de edema pulmonar por aumento da permeabilidade, a prioridade é tratar a causa da inflamação.

Saiba mais sobre os parâmetros hemodinâmicos

Cardiohelp System

ECMO para SDRA

A oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) para falência respiratória aguda grave foi proposta há mais de 40 anos.[10]   Desde então, os avanços da tecnologia tornaram a ECMO mais segura e fácil de usar, permitindo o uso mais generalizado na falência respiratória aguda.[11]  A ECMO-VV tornou-se o tratamento de escolha para pacientes com insuficiência respiratória refratária à ventilação mecânica ideal e a tratamentos médicos convencionais.[12] 

Saiba mais sobre as opções de ECMO

Oxigenação por membrana extracorpórea
para a síndrome do desconforto respiratório agudo grave
O Estudo EOLIA

A eficácia da oxigenação por membrana extracorpórea venovenosa (ECMO) em pacientes com  síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) grave permanece controversa. [13] O estudo EOLIA foi projetado para determinar o efeito do início precoce de ECMO em pacientes com as formas mais graves de SDRA.[1]

ECLS (ECMO) therapy in ICU for adult patients with ARDS

ECMO Precoce

 
35% de mortalidade
(44/124)
ECLS (ECMO) therapy in ICU for adult patients with ARDS

249 Pacientes

 
124 receberam ECMO vv imediata e
125 continuaram o tratamento convencional
ECLS (ECMO) therapy in ICU for adult patients with ARDS

Ventilação Convencional*

 
46% de mortalidade
(57/125)

*com ECMO de resgate, se necessário

Publicado: Combes et al, New England Journal of Medicine 2018; 378:

A eficácia da oxigenação por membrana extracorpórea venovenosa (ECMO-vv) em pacientes com síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) grave permanece controversa. O estudo EOLIA foi projetado para determinar o efeito do início precoce de ECMO em pacientes com as formas mais graves de SDRA.

Suporte de vida extracorpóreo

Nosso amplo portfólio de produtos de altíssimo nível para suporte a vida extracorpóreo (ECLS) prolongado ou oxigenação por membrana extracorpórea (ECMO) inclui uma seleção de dispositivos e consumíveis para fornecer suporte cardíaco e/ou pulmonar individual extracorpóreo, tais como bomba centrífuga, oxigenadores, unidades aquecedoras, conjuntos de tubos e cateteres, além das cânulas.

Ler mais sobre Suporte de vida extracorpóreo

Monitorização Avançada

Sistemas de monitoramento orientados para a prática e descartáveis utilizados para diagnósticos e tratamento do paciente terminal.

Ler mais sobre Monitorização Avançada

Ventilação mecânica

Ventiladores para cuidados críticos, fáceis de usar, com ferramentas que ajudam a reduzir complicações e realizam o desmame de forma mais rápida durante ventilação não invasiva e invasiva, da UTI aos cuidados intermediários, e para todas as categorias de pacientes.

Ler mais sobre Ventilação mecânica

Todas as referências

  1. Bellani G, Laffey JG, Pham T, et al. LUNG SAFE Investigators; ESICM Trials Group. Epidemiology, Patterns of Care, and Mor­tality for Patients With Acute Respiratory Distress Syndrome in Intensive Care Units in 50 Countries. JAMA. 2016 Feb 23;315(8):788- 800.

  2. Bice T, Cox CE, Carson SS. Cost and health care utilization in ARDS--different from other critical illness? Semin Respir Crit Care Med. 2013 Aug;34(4):529-36.

  3. Health Topic "ARDS" on National Heart, Lung, and Blood Institute

  4. ARDS Definition Task Force, Ranieri VM, Rubenfeld GD, Thompson BT, Ferguson, et al. Acute respiratory distress syndrome: the Berlin Definition. JAMA. 2012 Jun

  5. Fan E, Brodie D, Slutsky AS. Acute Respiratory Distress Syndrome: Advances in Diagnosis and Treatment. JAMA. 2018 Feb 20;319(7):698-710.

  6. Fan E, Del Sorbo L, Goligher EC, et al. American Thoracic Society, European Society of Intensive Care Medicine, and Society of Critical Care Medicine. An Official American Thoracic Society/European Society of Intensive Care Medicine/Society of Critical Care Medicine Clinical Practice Guideline: Mechanical Ventilation in Adult Patients with Acute Respiratory Distress Syndrome. Am J Respir Crit Care Med. 2017 May 1;195(9):1253-1263.

  7. Teboul, JL., Saugel, B., Cecconi, M. et al. Intensive Care Med (2016) 42: 1350. hps://doi.org/10.1007/s00134-016-4375-7

  8. Amato MB, Meade MO, Slutsky AS, et al. Driving pressure and survival in the acute respiratory distress syndrome. N Engl J Med.2015 Feb 19;372(8):747-55.

  9. Yoshida T,Fujino Y, Amato MB, Kavanagh BP. Fifty Years of Research in ARDS. Spontaneous Breathing during Mechanical Ventilation Risks, Mechanisms, and Management. Am J Respir Crit Care Med Vol 195, Iss 8, pp 985–992, Apr 15, 2017.

  10. Ventetuolo CE, Muratore CS. Extracorporeal life support in critically ill adults. Am J Respir Crit Care Med. 2014;190(5):497–508.

  11. Toshiyuki Aokage, Kenneth Palmér, Shingo Ichiba and Shinhiro Takeda; Extracorporeal membrane oxygenation for acute respiratory distress syndrome; Journal of Intensive Care20153:17

  12. MacCallum NS1, Evans TW.; Epidemiology of acute lung injury. Curr Opin Crit Care. 2005 Feb;11(1):43-9.

  13. Extracorporeal Membrane Oxygenation for Severe Acute Respiratory Distress Syndrome